• Receba posts por e-mail

    Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

  • Siga-nos

Não consigo engravidar! Infertilidade. Saiba mais sobre um problema que afeta 1 em cada 10 casais

Não consigo engravidar! A infertilidade, cada vez mais comum, pode gerar depressão, ansiedade, separações entre casais, sentimento de culpa, fracasso… Me lembro bem do sentimento de não conseguir engravidar. Só quem passa ou já passou por isso sabe como é horrível. Fui mãe aos 31, após três anos de tentativas, consultas, exames, simpatias, orações… rsrs. Foi uma fase tensa.

Somente após a realização de um exame de nome medonho, histerossalpingografia, soube a causa da minha infertilidade. Fui diagnosticada com trompas fixas,  o que impedia a passagem dos espermatozóides até o óvulo. A fertilização in vitro era a minha única solução. O tratamento é de alta complexidade mas também com maiores chances de sucesso. Eu e meu marido não pensamos duas vezes. Procuramos um dos melhores especialistas em medicina reprodutiva do país, que atende em São Paulo, Dr. Gilberto da Costa Freitas.

Conversamos bastante, tiramos dúvidas sobre o processo do tratamento, inclusive os burocráticos, e resolvemos iniciar o procedimento o quanto antes, no mês de março de 2011. Foi rápido. Seguimos todas as recomendações médicas com afinco. A vontade de ter filhos era tão grande que fizemos de tudo para dar certo de primeira. Até a minha alimentação melhorei por conta própria, a maioria orgânica. Pedi licença do trabalho para me dedicar ao tratamento e fiquei a maior parte do tempo em repouso.

Durante quase duas semanas eu mesma aplicava injeções de hormônios estimuladores ovarianos, na barriga. As drogas estimuladoras são receitadas de acordo com o caso de cada paciente. Os efeitos colaterais variam de acordo com o organismo. Tive poucas reações, apenas dores leves como de cólicas menstruais e um pouco de irritação. A segunda etapa foi de captação dos óvulos e coleta dos espermatozóides. A terceira etapa foi realizada no laboratório, onde ocorreu a fertilização in vitro. E por último, a transferência dos melhores embriões para o interior do meu útero por meio de uma cânula especial.

D acordo com os limites estabelecidos pelo Conselho Federal de Medicina, mulheres com até 35 anos podem receber até dois embriões; entre 36 e 39 anos (até três embriões); e com 40 anos ou mais (limite de quatro embriões). Como eu tinha 30 anos, foram transferidos dois embriões. No dia 05 de abril, realizei o primeiro exame de sangue com o resultado do hormônio beta-HCG bem alto. Opa, suspeita de múltiplos, felicidade em dobro! Em novembro do mesmo ano, minhas filhas gêmeas nasceram. E como passou rápido, já estão com 6 anos de idade.

Mas tudo isso só foi possível graças aos recursos avançados da medicina reprodutiva e a Deus, claro! Por isso, se você está na luta para engravidar e ainda não procurou um especialista em reprodução humana, sugiro que procure, seja qual for o seu problema pode haver uma solução. Não deixe de assistir ao vídeo abaixo que o Dr. Gilberto gravou, a pedido da indústria farmacêutica Schering-Plough, sobre a preservação da fertilidade, técnicas de reprodução humana, fertilização in vitro e inseminação artificial. O vídeo é bem explicativo. Vale a pena!

Ah, e não se sinta mal porque ainda não engravidou, como o Dr. disse no vídeo “em cada 10 casais que tentam ter filhos 1 apresenta problemas de infertilidade. Atualmente, existem mais de 6 milhões de casais com esse problema que é confirmado quando o casal é exposto a relações sexuais sem métodos contraceptivos, durante mais ou menos um ano, sem que ocorra a gravidez. 

Bom vídeo!

 

Tags , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre planetamae10

Blog de maternidade

Deixe seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.