Seu filho conhece a história da cidade em que vive? Saiba a importância disso Crianças participativas, adultos conscientes.

Espaço Lúcio Costa

Maquete de Brasília

Era um sábado de sol. Pombos voavam no centro do poder. Crianças corriam atrás dos pássaros e os alimentavam com pipocas. Soldados marchavam em direção à bandeira do Brasil para retirá-la do mastro. Brasília, 21 de abril, aniversário da cidade.

Enquanto apreciava o pôr do sol na Praça dos Três Poderes e observava os três edifícios monumentais (Palácio do Planalto, Congresso Nacional, Supremo Tribunal Federal) ficava imaginando como o país poderia ser diferente.

Pensava também em como eu poderia contribuir para que minhas filhas e meus netos vivessem num Brasil melhor que o de hoje. Sei que existem várias formas de colaborar.  Mas acredito que a educação de qualidade aliada a cultura é a melhor estratégia para o desenvolvimento do país, em vários aspectos.

Não sou especialista no assunto mas sou mãe, cidadã. E como toda mãe que deseja o melhor para os filhos seria lindo ver as minhas, as suas, as nossas crianças tornando-se adultos atuantes na construção de uma nova e bela história do nosso país.

Praça dos Três Poderes (Crédito: Patrícia Faria)

Mas para isso, cabe a nós, pais, garantir que nossos filhos resgatem a história da nação para que entendam o presente e se tornem adultos conscientes, comprometidos com a melhora do país.

Segundo a Professora de História, com 30 anos de experiência em educação infantil,  Lúcia Nunes de Oliveira, é importante que a criança conheça a história da sua cidade para que entenda a sua participação no contexto sócio, político e cultural.

Vista do Palácio do Planalto na Praça dos Três Poderes (Crédito: Patrícia Faria)

Lúcia lembra também da importância das crianças criarem laços com a cidade em que vivem. Mas isso só é possível a partir da conscientização das reais necessidades locais, dos pontos positivos e negativos que existem com o crescimento e da importância da conservação e preservação do seu patrimônio histórico. “No caso de Brasília, a criança precisa saber que a cidade é resultado de um projeto modernizador e sua população é formada pela miscigenação de vários grupos sociais que confluíram para a capital. Conhecer e valorizar o local onde se vive, faz a criança perceber que é agente do processo histórico”, acrescenta.

foto lucio costa 1

Maquete de Brasília no Espaço Lúcio Costa (Crédito: Patrícia Faria)

No mesmo dia, visitamos o Espaço Lúcio Costa, pequeno museu subterrâneo localizado na Praça dos Três Poderes. O museu foi criado em 1992 em homenagem ao idealizador do plano piloto de Brasília, Lúcio costa. O local abriga a maquete da cidade, uma maquete tátil do plano piloto, painéis com cópias do projeto da capital, documentos e fotos históricas da construção e inauguração de Brasília.

foto lucio costa

Mamãe, quem é? (Crédito: Patrícia Faria)

Para a minha alegria fui bombardeada com perguntas. Mamãe, o que é isso? O que é aquilo? Quem é na foto? Ainda bem que levei meu amigo Google porque nem todas as respostas encontrava por lá. He he he… Sei que não entenderam tudo. É muita informação para crianças de apenas 6 anos de idade. Legal mesmo é o contato com a história, in loco. É mais fácil e prazeroso aprender  visualizando objetos, fotos, estátuas e locais que fazem parte da história. Como dizia o grande educador Paulo Freire: “a leitura do mundo precede a leitura da palavra”. 

A Pedagoga Maria Cecília Alves lecionou para crianças durante 28 anos e afirma que conhecer a cultura local significa resgatar e preservar as tradições e a memória da cidade. “ As crianças devem valorizar a sua origem ou o lugar que os pais escolheram para viver. Isso fica nelas para o resto da vida. É muito bonito de se ver”, relata.

Então, mamães e papais, bora explorar a cidade com os nossos pequenos!!!

O Espaço Lúcio Costa abre de terça a domingo e feriados das 09h00 às 18h00. A entrada é gratuita.

 

 

 

 

2 thoughts on “Seu filho conhece a história da cidade em que vive? Saiba a importância disso Crianças participativas, adultos conscientes.

    1. Olá, Célia, tudo bem. E vc? O melhor eu não sei. Usei o Mustela e gostei bastante. Mas prometo fazer uma pesquisa sobre cremes para estrias e postar em breve no blog. Um beijo.

Deixe seu comentário